segunda-feira, 23 de novembro de 2009

VIII Araribóia Cine - Festival de Niterói

Entre os dias 20 e 25 de novembro, na semana de aniversário de nossa cidade, a Universidade Federal Fluminense e a Prefeitura de Niterói promovem a oitava edição do ARARIBÓIA CINE, um festival de cinema brasileiro e temático que vem trazer para Niterói o melhor da produção de curtas e longas metragens, nesta edição, focados no tema “Retratos”. A terra de Araribóia irá receber cineastas de todo o Brasil para debater seus filmes ao lado de nomes de reconhecida competência no meio audiovisual brasileiro.

Também faremos uma homenagem ao niteroiense Ricardo Miranda, cineasta e montador ilustre do cinema brasileiro.  O cineasta terá uma mostra especial com a trajetória de sua carreira. O debate programado para o dia 24/11, às 9h, no Cine Arte UFF, será de interesse especial para os estudantes de cinema, principalmente daqueles voltados para a área da montagem cinematográfica.

A coordenadora do NPD – Niterói, Raquel Dias, será jurada da Mostra Competitiva Digital.

O ARARIBÓIA CINE, conta com o patrocínio da Petrobras, da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, do Sesc e da Fundação Euclides da Cunha.

As sessões ocorrerão no Sesc Niterói, no Cine Arte UFF e  no MAC .

ENTRADA FRANCA!

Informações
Produção Araribóia Cine
Telefone: (21) 9991 4013
E-mail: arariboiacine@centroin.com.br

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Oficina de Introdução à Fotografia

A oficina será  ministrada pela fotógrafa Bia Marques entre os dias 1º e 15 de dezembro. 

Além de um breve estudo da história da Fotografia, da análise a obra de grandes fotógrafos internacionais e de fotógrafos contemporâneos nacionais, que vão introduzir conceitos de composição e perspectiva, tipos de objetiva e suas particularidades, e também fotografia digital e Adobe Photoshop, os alunos terão a oportunidade de exercitar seus olhares fotográficos através de aulas práticas, nas quais eles poderão observar as diferentes aplicações da fotografia.

Cada aluno deverá lever sua própria câmera fotográfica, independente de tipo ou modelo (analólgica, digital, celular etc).


Saiba mais sobre a oficina aravés da ementa. Para se inscrever, envie o formulário de inscrição preenchido para npdniteroi@gmail.com até o dia 26/11. Ambos estão disponíveis para download pelos links abaixo. 

Ementa

Curso de Narrativa Audiovisual e Literatura


A partir do dia 30 de novembro o NPD - Niterói estará oferecendo mais um curso.

Ministrado por Itérbio Aldrighi (jornalista, escritor e produtor de programas de rádio e tv - Roquette Pinto e Unitevê) e Celso Araújo (produtor cultural e coordenador do Espaço Cultural de São Pedro da Serra), ambos assistentes da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia de Niterói, o curso de Narrativa Audiovisual e Literatura tem como objetivo estabelecer uma relação entre a narrativa audiovisual e a narrativa literária, abordando vários aspectos comuns, como gênero, personagem, storyline, entre outros. Para ler a ementa, faça o download no link abaixo.

O curso será gratuito e se destina a todos os interessados em audiovisual e literatura que desejam estudar um pouco mais sobre o assunto.

Para se inscrever basta fazer o download da ficha de inscrição pelo link abaixo e envia-la preenchida para npdniteroi@gmail.com até o dia 25 de novembro.


Aguardamos suas inscrições!

Curso de Final Cut

O software Final Cut é uma das principais ferramentas de edição de imagens existentes. Seu uso é praticamente indispensável para aqueles que desejam ingressar ou expandir seus conhecimentos na área.



Por esse e outros motivos, o NPD – Niterói/RJ ofereceu nas últimas quatro semanas o curso de Final Cut ministrado por Marcos Horácio Azevedo. As aulas foram divididas em três horas de exposição teórica e mais duas horas de prática nas ilhas de edição do Núcleo. Oito alunos foram selecionados para participarem do curso e se dividiram em dois grupos, sendo um composto por aqueles que já possuíam conhecimento em softwares de edição ou noções básicas em Final Cut e outro formado por aqueles que não possuíam nenhuma experiência em edição de imagens.

Os alunos aprenderam a lidar com as variadas interfaces do programa, logar e capturar o material a ser editado, montar e refinar o corte, trabalhar com os efeitos visuais disponíveis no software, aplicar transições e sobreposições de imagens, exportar o material editado para diferentes suportes e ainda receberam noções básicas em mixagem de som. Alguns alunos já planejam trazer seus projetos filmados para serem editados no NPD e todos ficaram muito satisfeitos com o curso.






domingo, 1 de novembro de 2009

Oficina de Linguagem Cinematográfica


Nos dias 19 e 20 de outubro o NPD - Niterói ofereceu a Oficina de Linguagem Cinematográfica ministrada pelo cineasta Philippe Barcinski. A Oficina foi dividia em três aulas teóricas e na exibição do filme Não Por Acaso, com Rodrigo Santoro e Letícia Sabatella, dirigido por Barcinski.




Na primeira aula, Barcinski apresentou aos alunos conceitos básicos da linguagem cinematográfica. O plano, o contra-plano, o corte, o ponto de vista, o raccord, a decupagem e outros termos que são familiares a cinéfilos e cineastas foram demonstrados em sala a partir de trechos de filmes como Um Corpo que Cai, Cidadão Kane, O Iluminado, O Silêncio dos Inocentes e outros. A aula foi dedicada à análise da construção da linguagem cinematográfica desde o início do século (quando a câmera era posicionada frontalmente à ação, adaptando a perspectiva do espectador de teatro para o cinema) até os dias de hoje (nos quais a câmera possui total liberdade para recortar o espaço), passando pelos filmes clássicos narrativos hollywoodianos (nos quais a gramática do cinema era usada para contar histórias de forma clara, evitando a ambigüidade).

A segunda aula foi concentrada nas vanguardas artísticas que elevaram o cinema, até então apenas uma forma de entretenimento, ao status de arte. Passando pelos filmes futuristas dos anos de 1920 e pelo expressionismo alemão, a aula seguiu para o neo-realismo italiano e a nouvelle vague francesa. O primeiro movimento tirou o cinema dos estúdios, levando a câmera para as locações e trabalhando com não-atores. O segundo rompia com as regras de montagem e a duração de planos, estabelecendo um novo estilo narrativo completamente anti-hollywoodiano.  Ainda foram discutidas as questões de verdade e verossimilhança no cinema e os efeitos que as vanguardas artísticas tiveram nas gerações dos anos de 1970 e 80.  

Na terceira aula, o cineasta exibiu dois de seus curtas, A Escada e Palíndromo, e trechos do material bruto de Não Por Acaso e do episódio de Cidade dos Homens dirigido por ele, para exemplificar os problemas que um diretor pode encontrar durante a feitura de um filme e as opções disponíveis para ele no momento da decupagem ou da filmagem de uma sequência. O curso foi finalizado com um exercício no qual os participantes deveriam assistir a um plano-seqüência (integrante do material bruto de Não Por Acaso) e, a partir dos conhecimentos adquiridos durante a oficina, decidir onde deveriam ser acrescentados planos de cobertura e que tipo de planos eles deveriam ser.