sexta-feira, 15 de abril de 2016

Cine Nikiti comemora o Dia do Índio com filme e debate sobre a questão indígena

O cineclube Cine Nikiti exibe neste mês o documentário “A Nação Que Não Esperou Por Deus”, de Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen, em comemoração ao Dia do Índio (19 de abril).  Ele será apresentado no dia 20 de abril, quarta-feira, às 19h, no Solar do Jambeiro, com entrada gratuita.

Quinze anos depois de realizar o seu filme de ficção "Brava Gente Brasileira", Lucia Murat volta, agora junto ao cineasta Rodrigo Hinrichsen, ao Mato Grosso do Sul para registrar o impacto provocado na reserva kadiwéu – cujos habitantes foram figurantes em “Brava Gente Brasileira” - pela chegada da eletricidade e com ela a televisão.
Mas ao chegar encontra a comunidade na luta pela retomada de suas terras, invadidas por pecuaristas. Os desafios dessa nova identidade indígena, dividida entre a reserva e a cidade, para onde se deslocaram parte dos kadiwéus, surge em toda a sua complexidade, influenciada ainda pela instalação de cinco igrejas evangélicas na reserva. 
Antes de “A Nação Que Não Esperou Por Deus”, será exibido o curta-metragem “Choro da Terra”, de Alberto Alvares.  Após a sessão haverá debate sobre a questão indígena com o Prof. Dr. Paulo de Tássio, da Faculdade de Educação da UERJ, e o cineasta guarani Miguel Vera Mirim.

O NPD concederá certificado de horas de atividade complementar para os estudantes que comparecerem ao evento.

O Solar do Jambeiro fica na Rua Presidente Domiciano, 195, Ingá, Niterói. Telefone: 2109-2222.



Confirme sua presença no evento na página do Facebook: https://www.facebook.com/events/1035614003195642
Página do Cine Nikiti no Facebook: https://www.facebook.com/cinenikiti


Ficha Técnica:
Direção: Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen
Duração: 89 min
Produção/Ano:
Brasil/2015
Classificação Indicativa: 12 anos


SOBRE O CINE NIKITI:

O Cine Nikiti acontece sempre na 3ª quarta-feira de cada mês. Nele são exibidos longas-metragens brasileiros, precedidos de um curta nacional, sendo resultado de uma parceria entre o Núcleo de Produção Digital de Niterói (NPD), o Solar do Jambeiro e a Niterói Filmes. O cineclube começou em maio de 2015 com a exibição do documentário “Sem Pena”, de Eugênio Puppo. Durante o ano passado foram exibidos filmes premiados em festivais nacionais e internacionais como “Ventos de Agosto”, “Ela Volta na Quinta” e “Brasil S/A”.  O cineclube também fechou parcerias com diversos festivais brasileiros como a Mostra do Filme Livre e o Festival Visões Periféricas.

Ao invés de filmes autorais, como foi no ano passado, o Cine Nikiti 2016, volta em novo formato, exibindo documentários seguidos de debate sobre diversas áreas de interesse: direito das minorias, mobilidade urbana, questão alimentar, esporte e acessibilidade, etc.

O movimento de cineclubismo tem por princípio promover espaços de exibição de produções cinematográficas, preferencialmente nacionais, com os objetivos de formar e/ou ampliar o público do cinema, introduzir o conceito de cinema como arte, utilizar o cinema como ferramenta de educação, estimular o desenvolvimento do pensamento crítico, além de suscitar ou alimentar discussões de relevância social promovendo mesas de debates com autoridades de diversas áreas.