Cine Nikiti comemora o Dia do Índio com filme e debate sobre a questão indígena

O cineclube Cine Nikiti exibe neste mês o documentário “A Nação Que Não Esperou Por Deus”, de Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen, em comemoração ao Dia do Índio (19 de abril).  Ele será apresentado no dia 20 de abril, quarta-feira, às 19h, no Solar do Jambeiro, com entrada gratuita.

Quinze anos depois de realizar o seu filme de ficção "Brava Gente Brasileira", Lucia Murat volta, agora junto ao cineasta Rodrigo Hinrichsen, ao Mato Grosso do Sul para registrar o impacto provocado na reserva kadiwéu – cujos habitantes foram figurantes em “Brava Gente Brasileira” - pela chegada da eletricidade e com ela a televisão.
Mas ao chegar encontra a comunidade na luta pela retomada de suas terras, invadidas por pecuaristas. Os desafios dessa nova identidade indígena, dividida entre a reserva e a cidade, para onde se deslocaram parte dos kadiwéus, surge em toda a sua complexidade, influenciada ainda pela instalação de cinco igrejas evangélicas na reserva. 
Antes de “A Nação Que Não Esperou Por Deus”, será exibido o curta-metragem “Choro da Terra”, de Alberto Alvares.  Após a sessão haverá debate sobre a questão indígena com o Prof. Dr. Paulo de Tássio, da Faculdade de Educação da UERJ, e o cineasta guarani Miguel Vera Mirim.

O NPD concederá certificado de horas de atividade complementar para os estudantes que comparecerem ao evento.

O Solar do Jambeiro fica na Rua Presidente Domiciano, 195, Ingá, Niterói. Telefone: 2109-2222.



Confirme sua presença no evento na página do Facebook: https://www.facebook.com/events/1035614003195642
Página do Cine Nikiti no Facebook: https://www.facebook.com/cinenikiti


Ficha Técnica:
Direção: Lucia Murat e Rodrigo Hinrichsen
Duração: 89 min
Produção/Ano:
Brasil/2015
Classificação Indicativa: 12 anos


SOBRE O CINE NIKITI:

O Cine Nikiti acontece sempre na 3ª quarta-feira de cada mês. Nele são exibidos longas-metragens brasileiros, precedidos de um curta nacional, sendo resultado de uma parceria entre o Núcleo de Produção Digital de Niterói (NPD), o Solar do Jambeiro e a Niterói Filmes. O cineclube começou em maio de 2015 com a exibição do documentário “Sem Pena”, de Eugênio Puppo. Durante o ano passado foram exibidos filmes premiados em festivais nacionais e internacionais como “Ventos de Agosto”, “Ela Volta na Quinta” e “Brasil S/A”.  O cineclube também fechou parcerias com diversos festivais brasileiros como a Mostra do Filme Livre e o Festival Visões Periféricas.

Ao invés de filmes autorais, como foi no ano passado, o Cine Nikiti 2016, volta em novo formato, exibindo documentários seguidos de debate sobre diversas áreas de interesse: direito das minorias, mobilidade urbana, questão alimentar, esporte e acessibilidade, etc.

O movimento de cineclubismo tem por princípio promover espaços de exibição de produções cinematográficas, preferencialmente nacionais, com os objetivos de formar e/ou ampliar o público do cinema, introduzir o conceito de cinema como arte, utilizar o cinema como ferramenta de educação, estimular o desenvolvimento do pensamento crítico, além de suscitar ou alimentar discussões de relevância social promovendo mesas de debates com autoridades de diversas áreas.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo chega à Niterói em Junho

O mundo das pessoas com Síndrome de Down é tema do próximo Cine Debate

Cine Nikiti discute a violência urbana no doc "Mataram Meu Irmão"