10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo chega à Niterói em Junho

A 10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo, realizada em todas as capitais do país e em mais de mil pontos de exibição espalhados por cidades brasileiras, acontece em Niterói entre os dias 08 e 10 de junho. Neste ano, um dos pontos de exibição escolhidos pela produção da Mostra, o Núcleo de Produção Digital de Niterói (NPD), órgão ligado à Subsecretaria Municipal de Ciência e Tecnologia, tem o apoio do  Espaço Cultural Correios, que vai exibir seis filmes brasileiros, com entrada gratuita. Após as sessões haverá diversas atividades como debates e campanha para a emissão de documentos com isenção, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH). 

Página do evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/1178096572209615 


PROGRAMAÇÃO

Dia 08 de Junho, quarta-feira, 18h
Solenidade de abertura oficial do evento

500 – Os Bebês Roubados Pela Ditadura Argentina
De Alexandre Valenti. Argentina/Brasil, 2013, 100 min. Documentário, 12 anos.
Durante a ditadura militar na Argentina foram sequestrados bebês e crianças, filhos de presos e desaparecidos políticos ou nascidos em prisões clandestinas ou centros de tortura e extermínio. O grupo "Avós da Praça de Maio" criou o “Banco dos 500”, para localizar as 500 crianças a partir de amostras de seus próprios sangues.

Após a sessão haverá debate sobre Infância/Direito à Memória e à Verdade, com Nadine Borges, ex-membro da Comissão da Verdade do Rio, e Waldeck Carneiro, Prof. da Faculdade de Educação da UFF e Deputado Estadual.



Dia 09 de Junho, quinta-feira, 16h

Abraço de Maré
De Victor Ciriaco. Brasil, 2013, 13 min. Documentário, Livre.
O dia a dia de quem mora em um centro urbano é sempre atribulado. Porém, bem no meio disso tudo, cinco pessoas vivem na mais pura sintonia entre a natureza e a cidade. Do asfalto ao mangue, o curta-metragem documental “Abraço de maré” traz para a tela a história de vida de uma família ribeirinha, que mora em uma casa de taipa às margens do rio Potengi. Esse filme nos leva a refletir sobre essa dualidade e sobre o quanto a realidade que nos parece ser tão distinta nos é, na verdade, tão próxima.

           
O Muro é o Meio
De Eudaldo Monção Jr. Brasil, 2014, 15 min. Documentário, 10 anos.
O documentário aborda pichações de protesto gravadas nos muros da Universidade Federal de Sergipe. São gritos de revolta pela falta de segurança no Campus, estrutura e qualidade de ensino. As pichações são mostradas como formas de indignação, reivindicação e também de comunicação contra a apatia das paredes brancas que abafam os conflitos socioculturais.



Após a sessão debate com o grafiteiro Marcos Paulo Alfa e estudantes.


Dia 09 de Junho, quinta-feira, 18h

Félix, o Herói da Barra
De Edson Fogaça. Brasil, 2015, 72 min. Documentário, Livre.
Félix, herói fundador da comunidade de Barra de Aroeira, Santa Tereza (TO), seria um ex-escravo que teria lutado na guerra do Paraguai e recebido de D. Pedro II uma grande extensão de terras, no antigo norte de Goiás, pela sua atuação no conflito. A perda do documento real, após a sua morte, gerou um conflito pela posse das terras entre seus descendentes e fazendeiros, que já dura mais de 50 anos. A comunidade atual então se auto reconheceu como quilombola para, em uma derradeira ação, garantir, ao menos, o direito à terra que ocupam.



Do Meu Lado
De Tarcísio Lara Puiati. Brasil, 2014, 14 min. Ficção, Livre.
As vidas de duas vizinhas, uma umbandista e uma protestante, começam a se cruzar quando uma infiltração abre um buraco na parede que divide suas casas. Com Áurea Martins e Maria Salvadora.

Após a sessão haverá Roda de Diálogo sobre Diversidade Religiosa com a presença do Babalawo,  Prof° Ivanir dos Santos e do Pastor Leandro Reis, da Igreja Deus Tem Mais.


Dia 10 de junho, sexta-feira, 18h

Porque Temos Esperança
De Susanna Lira. Brasil, 2014, 71 min. Documentário, 10 anos.
“Porque Temos Esperança” mostra a jornada de uma mulher pernambucana e a sua rejeição para tudo aquilo que parece não ter jeito. Vivendo profundos dilemas na vida pessoal e na tentativa de reconstruir outras vidas, ela inicia uma trajetória pelos presídios de Recife, na intenção de que pais reconheçam seus filhos. Experimentando na própria pele a solidão, Marli nos mostra que o afeto pode ser redentor e que a falta de esperança é o mal mais intolerável para o ser humano.

Durante o dia, de 10h as 17h, será montada uma tenda no Espaço Cultural dos Correios, em parceria com a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), para emissão de isenção de documentos e informações sobre programas sociais do Município.


SERVIÇO:

10ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Mundo – Edição Niterói
Quando: De 08 a 10 de junho
Onde: Espaço Cultural Correios (Avenida Visconde do Rio Branco 481, Centro, Niterói - Tel: 2622-3200) 
Evento gratuito



Comentários

  1. Filmes como esses devem ser mostrados com certeza, é sempre bom conhecer os dois lados da moeda! Muito bacana essa iniciativa. Encontrei outros cinemas na cidades que podem passar esses filmes http://bit.ly/2bqdF0Y

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

O mundo das pessoas com Síndrome de Down é tema do próximo Cine Debate

Cine Nikiti discute a violência urbana no doc "Mataram Meu Irmão"